Tráfego pago: como utilizar no seu site

26 de julho de 2022

Desde que a publicidade foi invadida pelas mídias digitais, novas táticas foram implementadas para a divulgação de empresas, marcas, produtos e serviços, e uma das maneiras mais populares de atrair visitantes para um site é com tráfego pago

Esse tipo de tráfego envolve pagar uma plataforma que gerencia publicidades e/ou palavras-chave, como é o caso do Google Ads e das próprias redes sociais, para que possa direcionar os internautas que navegam pela internet para essas campanhas a partir de diretrizes específicas, como interações anteriores ou termos pesquisados.

Seja comprando anúncios gráficos ou configurando uma campanha PPC (Pay Per Click, ou paga por clique), todo esse tráfego pago se enquadra em uma mesma categoria: a de anúncios.

Publicidade:

No cenário atual, em que muitas empresas se encontram no ambiente online, o marketing digital se tornou mais importante, inclusive se mostrando uma norma para alcançar sucesso, e o tráfego da internet é crucial para o desenvolvimento dos negócios. 

Tráfego Pago - Marketing Digital

Tráfego Pago – Marketing Digital

Quanto mais tráfego na internet uma empresa de peças para CNC tiver, mais provável que esses visitantes se tornem clientes pagantes e mais pessoas conhecem e se relacionam com a marca, de alguma maneira.

No entanto, antes que uma empresa comece a lucrar, é importante entender de onde vem o tráfego da internet e, mais importante, diferenciar o tráfego pago e o tráfego orgânico. 

O que é tráfego pago?

O termo tráfego pago consiste em toda a ação que leva pessoas a acessarem uma página quando estimulado por ações de anúncios, ou seja, que receberam patrocínio ou foram turbinados. Apesar disso, durante muito tempo houve distinções sobre a definição do que era o tráfego pago. 

Isso porque, anteriormente, enquanto para algumas pessoas o tráfego pago consistia apenas em publicidade paga por clique, outros defendiam que a estratégia incluísse elementos como banners e outras formas de publicidade paga.

Para melhor compreensão, é preciso entender que o tráfego pago de um site, seja de um que vende brinquedos para cachorros hiperativos ou uma consultoria contábil para empresas, é um investimento monetário, seja um banner, anúncio de pagamento por clique ou propaganda digital em geral. 

Publicidade:

Como o dinheiro é trocado pelo tráfego, a melhor definição é, realmente, como tráfego pago. Ao chegar a essa denominação quanto ao tráfego pago, abre-se um mundo de diferentes opções de alcance e publicidade, bem como de tipos de tráfego e desempenhos distintos, conforme o nicho de atuação.

Para entender de uma vez por todas, é preciso dividir nas 2 formas mais populares de publicidade paga: anúncios pagos e tráfego pago por clique.

  1. Tráfego de anúncio pago

O primeiro tipo mais popular de tráfego pago é o tráfego de anúncios. Isso significa tráfego gerado por usuários que clicam em:

  • Anúncios;
  • Banners;
  • Pop-ups;
  • Vídeos. 

Ao contrário de outras formas de tráfego pago, neste modelo os anunciantes que usam o tráfego pago geralmente são cobrados por mil impressões. 

Também conhecido como CPM ou custo por milha, esse tipo de publicidade não garante nenhum clique ou tráfego para um site, mas oferece uma taxa de custo baseada nas visualizações proporcionadas e no alcance do negócio.

Dependendo do site que a empresa está anunciando, o tráfego de anúncios pagos pode ser comprado por apenas R$0,5 por mil impressões. 

Se uma pessoa, dessas mil impressões, clicar em um anúncio, o valor que foi pago reside R$0,5 por esse visitante, podendo, até a levar a conversão, conforme a campanha. 

Importante ressaltar que a taxa de cliques do anúncio pode afetar muito esse número. Às vezes será muito mais alto e às vezes será muito mais baixo, demandando um estudo e estruturação adequada das ações e o acompanhamento das métricas para otimizar as próximas campanhas.

Publicidade:

Para algumas empresas, o tráfego de anúncios pagos pode ser muito mais lucrativo do que outros tipos de tráfego pago, especialmente se tiverem um anúncio de alta conversão. Contudo, é preciso estudar qual modelo melhor se adequa ao negócio e público. 

Inclusive, por não haver a garantia de visitantes para o orçamento despendido, muitas empresas preferem o tráfego pago por clique.

  1. Tráfego pago por clique

Outro tipo altamente popular de tráfego pago é, certamente, o tráfego pago por clique. 

Ao contrário do modelo de banners e anúncios executados com base no CPM, o tráfego pago por clique cobra dos anunciantes apenas a partir do momento que um cliente em potencial demonstra interesse e clica em um determinado link.

Assim, em vez de pagar R$0,5 na esperança de obter um clique, as pessoas que usam o tráfego PPC só são cobradas quando o usuário acessa sua página vinculada ao anúncio ou realizam a ação de clique estabelecida.

Isso facilita o gerenciamento de orçamentos e a determinação se a campanha está lucrativa ou não com base nos acessos e taxa de conversão.

Benefícios do tráfego pago

Quando se trata de publicidade, o tráfego pago tem muitos benefícios e pode ajudar praticamente qualquer empresa a melhorar a exposição e conversões. 

Um dos muitos benefícios do tráfego pago é o fato de ser praticamente instantâneo, seja para o anúncio de uma máquina de fazer gelo em cubo industrial preço acessível aos clientes, seja uma rede de lojas de eletrodomésticos.

Publicidade:

A equipe responsável pelo marketing digital pode configurar uma campanha de publicidade paga ou PPC em questão de minutos, e executá-la instantaneamente. 

Isso significa que a empresa pode começar a receber tráfego para o site no mesmo dia. Ao contrário de outras formas de publicidade, o tráfego pago oferece retornos e resultados muito mais rápidos.

Outro benefício do tráfego pago é que ele permite segmentar usuários que a empresa nunca pensou que conseguiria. 

Com as redes PPC que oferecem grandes parcerias de exibição em redes parceiras, um anúncio pode ser exibido em, literalmente, milhões de outros sites, com finalidades como assessoria contábil para o setor industrial, e alcançar o público interessado nesse setor, com base no comportamento desses usuários.

Isso não apenas aumenta massivamente a exposição de uma marca, mas também atrai usuários que outros métodos de publicidade teriam dificuldade em alcançar.

Encontrando o mercado e público-alvo

Após a compreensão sobre o porque as fontes de tráfego pago são benéficas para as marcas, é possível afirmar que, quando se trata de executar uma campanha de tráfego pago bem-sucedida, é fundamental saber segmentar o público de forma qualificada.

Quando uma consultoria de contabilidade conhece o mercado e os clientes em potencial, fica mais fácil identificar a melhor fonte de tráfego para a marca, os produtos ou os serviços disponibilizados para o mercado consumidor, direcionando-os melhor na jornada de compra.

Dessa forma, a equipe de marketing pode desenvolver um planejamento estratégico no ambiente digital, e assim criar mensagens relevantes e focadas que eliminam qualquer tipo de ruído.

É provável que uma empresa já tenha uma ideia do mercado em que atua, tendo uma visão mais ampla de todo o cenário em que se está inserida. 

Já para aprimorar as ações, é importante colher os dados e métricas obtidas nas campanhas já realizadas, verificando os gargalos e os resultados, melhorando as ações.

A equipe de marketing digital pode usar isso como ponto de partida para definir quem é o cliente em potencial ideal e onde ele passa o tempo.

Equilíbrio entre tráfego pago e orgânico

A verdade é que o tráfego de um site apropriado é um equilíbrio entre o orgânico e os diferentes modelos de ações pagas. 

O tráfego orgânico consiste nos clientes que clicam em um site de um escritório de contabilidade São Paulo, por exemplo, a partir das pesquisas nos mecanismos de busca, principalmente o Google. 

Isso torna o conhecimento de SEO (Search Engine Optimization) muito importante para gerar tráfego orgânico.

Quando um site é otimizado para os padrões do Google, ele fica facilmente acessível ao público a que realmente se destina. 

A prática de SEO permite que um site tenha uma classificação mais alta na SERP (Search Engine Results Page, isto é, a página de resultados do mecanismo de pesquisa), o que torna mais fácil para os clientes encontrarem o que buscam, inclusive contribuindo com as ações pagas e o tráfego obtido a longo prazo. Isso é o que atrai o tráfego orgânico. 

O tráfego pago, por outro lado, é gerado através do marketing PPC e CPM.

Mais uma vez, isso significa que a empresa paga uma taxa toda vez que um cliente clica em um anúncio que leva ao site de interesse, ou quando um anúncio é exibido aos usuários, também os convidando a contatar a marca.

Isso pode ocorrer a partir de uma postagem em um blog corporativo ou uma loja virtual que vende sistema de gestão financeira para pequenas empresas e grandes corporações que criam banners de produtos.

É importante encontrar o equilíbrio certo entre tráfego pago e orgânico para gerar impulso suficiente para a marca em curto e longo prazo.

É impossível ter tráfego orgânico excelente com palavras-chave relevantes para determinado negócio, mas isso não deve desencorajar nenhum empreendedor a investir no tráfego pago.

Inclusive, uma ideia principal bastante interessante nesse ponto, na verdade, é investir em tráfego pago para palavras-chave que não estão recebendo a atenção que se espera por meio do tráfego orgânico. 

Por exemplo, se os clientes pesquisarem uma palavra-chave de cauda longa relevante para a marca e o site estiver em 8º lugar na SERP para essa palavra-chave, vale investir em tráfego pago. 

Isso garante que o site apareça no topo da SERP na seção de anúncios e atraia mais atenção dos clientes, mas também estando disponível para os usuários de pesquisa, melhorando o posicionamento.

Contudo, se certas palavras-chave estão recebendo muita atenção por meio do tráfego orgânico, a equipe de marketing digital não precisa se concentrar nesses termos no tráfego pago. 

Assim, é possível economizar parte do orçamento de marketing para palavras-chave que precisam de mais atenção e equilibrar melhor o gerenciamento da campanha.

Conclusão

Encontrar o equilíbrio certo entre tráfego pago e orgânico pode ser confuso, a princípio, mas é essencial para ter sucesso online.

Usar tráfego pago e orgânico, quando trabalhado em conjunto, ajuda a anular possíveis desvantagens de ambas as estratégias.

O tráfego pago mantém uma consultoria empresarial lucrativa e, de uma forma pontual, os responsáveis podem acompanhar facilmente o sucesso das campanhas de pagamento por clique, enquanto uma abordagem focada em SEO para o tráfego orgânico cria fidelidade à marca.

Configurar uma estratégia abrangente de SEO valerá a pena a longo prazo e, enquanto isso, a empresa pode usar o tráfego pago para ver um ROI (Return Over Investiment), ou seja, retorno sobre investimento, de maneira imediata.

Preparar um site para tráfego orgânico resultará em credibilidade e, enquanto se espera que todo o trabalho árduo seja recompensado, a empresa pode obter resultados imediatos com tráfego pago.

Texto originalmente desenvolvido pela equipe do blog Business Connection, canal em que você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Copy link
Powered by Social Snap